Vereadores denunciam situação da saúde pública em Ourinhos

Vereadores denunciam situação da saúde pública em Ourinhos

13/10/2016

Melhorias no atendimento da UPA, falta de vagas na Santa Casa e problemas na distribuição de remédios foram os destaques da Sessão

 

O mau atendimento da saúde no município foi o destaque da 34ª Sessão Ordinária da Câmara de Ourinhos, realizada na última segunda-feira, 10. Mais uma vez, os vereadores criticaram o atendimento oferecido para a população e denunciaram a falta de vagas na Santa Casa.

 

O vereador Edvaldo Lucio Abel “Vadinho” (PSDB) iniciou a discussão. “Nesse instante estamos com 11 pacientes na UPA que estão com encaminhamentos, mas a Santa Casa não os recebe. Estamos cobrando uma solução há muito tempo, não podemos deixar nossa população com esse atendimento. O que vem acontecendo é que a UPA atende, os médicos encaminham e a Santa Casa não recebe. É um descaso, são pessoas carentes que necessitam de internação.”

 

O vereador Alexandre Araujo Dauage “Alexandre Zoio” (PRB) ressaltou que a situação atual é resultado da má gestão da prefeitura. “A prefeitura está deixando de passar o repasse para a Santa Casa e, por isso, essa falta de atendimento. Tive informação que a prefeitura não fez o repasse mensal de R$240 mil referentes ao mês de agosto. Acredito que falta atendimento porque não tem dinheiro. Outra coisa, a Secretaria da Saúde não realiza mais as cirurgias eletivas, não tem mais remédio nos postos de saúde, não faz mais exames, foi cortado a alimentação dos CAPs. A nossa cidade está virando um caos, estão fazendo cortes que não podem ser feitos, até a alimentação dos animais do parque ecológico foi cortada”.

 

Em seguida, o vereador Alexandre Florêncio Dias “Enfermeiro Alexandre” também foi taxativo e disse que a saúde pode entrar em colapso. “Foi citado aqui sobre o atraso no repasse para Santa Casa, isso implica na falta de atendimento dos pacientes, na interrupção da realização de cirurgias, na falta de medicamentos, inclusive fui às Unidades de Saúde e dos 73 itens da lista de remédios, foram repostos apenas 26. Não precisa ser da área de saúde para imaginarmos o que vai acontecer no município. Espero estar errado, torço para isso, mas quero ver no fim desses últimos três meses do ano a taxa de óbito do município. Gostaria de entender o por quê de toda essa suspensão. Queria eu poder ter a caneta e poder priorizar a vida, é um absurdo cortar serviços tão importantes”.

 

“A população não pode pagar com a vida esse desaso que está a saúde de Ourinhos. Por que as pessoas da Prefeitura não levantam da cadeira e entram na UPA? O Ministério Público precisa ir a fundo nessa questão. É revoltante”, ressaltou o vereador Antônio Carlos Mazzetti “Tico da Boa Esperança” (PSD).

 

Finalizando a discussão, o vereador Aparecido Luiz “Cido do Sindicato” (PSD) disse que o problema é antigo. “A questão da UPA não é de hoje. A Santa Casa a partir do momento que se tornou estruturante não atende mais ninguém e a Secretaria da Saúde não tomou nenhuma providência até hoje. É uma vergonha o cidadão ficar na UPA aguardando vaga na Santa Casa por falta de pagamento. Falta gestão”.