Vereador Alexandre Zóio propõe parceria público-privada para cobertura dos pontos de ônibus

Vereador Alexandre Zóio propõe parceria público-privada para cobertura dos pontos de ônibus

09/07/2015

A falta de cobertura na maioria dos pontos de ônibus circular da cidade foi tema de discussão da 23ª Sessão Ordinária, realizada no dia 06. O vereador Alexandre Araújo Dauage “Alexandre Zóio” (PRB) foi autor do requerimento aprovado nº1567, que solicitou informações ao Executivo sobre a possibilidade de ser estabelecida uma Parceria Público-Privada (PPP) para a realização das coberturas.

“Esse tema já foi discutido aqui por vários colegas, que também efetuaram o pedido. Não consigo entender como hoje a maioria dos pontos de ônibus de Ourinhos são postes. Quais as dificuldades de se implantar coberturas? São idosos, crianças, gestantes, aguardando circular em pé, debaixo de sol ou chuva. Se a Prefeitura tivesse ouvido esta Casa desde o início de 2013, se fizesse uma cobertura de ponto por semana, com certeza a cidade estaria atendendo melhor a população”, relatou o vereador Alexandre Zóio.

O vereador disse também que empresários já se ofereceram para realizar a PPP. “Muitos empresários se propuseram a construir as coberturas, mas não têm resposta da Secretaria Municipal responsável. Espero que haja sensibilidade do Poder Executivo e que comecem a construir essas coberturas, pois a população precisa desse carinho”.

O Presidente da Câmara Roberto Tasca (PR) também falou sobre o assunto. “Se querem que as coisas aconteçam precisa existir essa PPP, contudo isso depende muito do Poder Executivo”.

Finalizando a discussão, o vereador Lucas Pocay (PTB) também falou sobre os problemas da população que utiliza transporte público. “Esse debate vem há tempos nutrindo esta Casa, são requerimentos de diversos vereadores e o problema continua. A população que utiliza o transporte coletivo sofre com sol, chuva, vento. Só quem realmente utiliza, sabe o sofrimento que é aguardar o ônibus chegar. Sem contar as dificuldades das pessoas com deficiências e que diversos bairros ainda sofrem com a falta do transporte coletivo, pois os pontos foram instalados em locais inadequados, longe para os moradores dos bairros afastados”.