Falta de água no Jd. Itamaraty foi um dos principais temas discutidos na 23ª Sessão Ordinária

Os vereadores buscam uma solução para o problema

13/07/2018

A reclamação sobre a falta de água de inúmeros moradores da região do Jardim Itamaraty foi destaque na 23ª Sessão Ordinária, realizada na última terça-feira (10). O vereador Flavio Luis Ambrozim “Flavinho do Açougue” apresentou o Requerimento nº1760/18, que solicita informações sobre as constantes interrupções no fornecimento de água no Jd. Itamaraty, Pacheco Chaves e região e o tema foi amplamente discutido pelos parlamentares.

Flavinho iniciou as falas sobre o assunto. “Foi matéria até na TV TEM. Ano passado já fiz requerimento sugerindo a implantação de um reservatório de água no Jd. Itamaraty, a resposta que obtive da SAE é que o reservatório do Jd. São João já teria capacidade suficiente. Não é o que está sendo comprovado. A falta de água é constante e os prejuízos para a população são enormes”.

O vereador ressaltou que tem informações de funcionários da SAE que desde o ano passado está em funcionamento uma bomba reserva na central de abastecimento que fornece água para a região e que até hoje o equipamento queimado não foi trocado. “Essa reserva não tem a mesma capacidade da original. Por que não trocaram? Por que deixaram essa reserva? Qual a justificativa? A população não pode ser tratada com tanto descaso. Tem matéria divulgada na imprensa de cidadãos pegando água em córrego até para beber”, finalizou.

Na sequência, o vereador Eder Mota fez seu pronunciamento. “Também apresentei Requerimento solicitando perfurações de poços em todas essas regiões que vêm faltando água. Precisamos entender o que está acontecendo e resolver. É importante lembrar que na gestão passada o Superintendente da SAE veio na Câmara falar justamente da falta de água. Desde aquele tempo esse problema vem se arrastando, as gestões passadas nunca fizeram investimento. Agora estamos unidos para resolver o problema, temos coragem e estamos correndo atrás de verbas para investimentos na cidade”.

O vereador Abel também debateu o assunto. “Sabemos que a questão da falta de água não é de hoje. Para se ter ideia, há 50 anos foi inaugurado a estação de tratamento de água na cidade, que à época tinha 30 mil habitantes e ao longo dos anos nenhum investimento foi feito no tratamento e captação. A cidade foi crescendo, o equipamento de hoje tem que trabalhar três vezes mais. A água vai continuar faltando enquanto não houver investimento, sem contar que 50% da água se perde no encanamento antigo. O Prefeito começou a gestão e encontrou vários problemas muito sérios, como falta de água, tratamento de esgoto e aterro sanitário esgotado. Ele tem trabalhado incansavelmente para solucionar esses problemas e dar qualidade de vida para a população”.

Em seguida, o vereador Edvaldo Lucio Abel “Vadinho” se pronunciou. “Da forma como estão tratando esse assunto parece que faltar água é normal. Aqui é o local de fiscalização, temos que informar a população, temos que nos colocar no lugar das pessoas que não têm água para tomar banho, para realizar seus afazeres. Já passou um ano e meio de gestão e não fizeram nada. Sabemos que sobrou dinheiro na SAE. Precisamos fiscalizar, cobrar o Executivo e a Superintendência para que resolva o problema. Temos que defender a população”.

O vereador Salim Mattar deu sequência ao debate. “Já vivenciei muitas gestões, com seus altos e baixos. O que falta na SAE é gerenciamento, planejamento. Não sabemos o quanto custa o saneamento da cidade. É necessários melhorar os equipamentos. Temos que conhecer o problema em sua essência. Aconteceram sim investimentos em anos anteriores, foram novos poços artesianos, novas caixas d'água. Temos que ter cuidado ao dizer as coisas, temos que ter propriedade e tentar resolver o problema. É necessário investimentos planejados, com prazos”.

O vereador Caio Lima também fez seu discurso. “Fomos procurados por muitos munícipes nos últimos dias. Também já apresentei Requerimento sobre o assunto. Temos um problema, precisamos de solução. Ainda não obtive respostas do Executivo, a população não pode pagar o pato. Temos que cobrar, as pessoas não podem pagar conta de água e não ter o serviço”.

Logo após, o vereador Aparecido Luiz “Cido do Sindicato” também pediu a palavra. “É responsabilidade de todos nós. Vamos juntos encontrar uma solução o mais rápido possível. Vamos pedir que o Superintendente nos mande os projetos de melhoria”.

A vereadora Raquel Spada também destacou a importância de se achar soluções. “Recebi inúmeras ligações, principalmente de mães. Sabemos do problema antigo de inúmeros vazamentos, canos enferrujados, etc. Temos que estudar e achar soluções, pois nossa preocupação é grande com a população”.

O vereador Sargento Sérgio disse que não é correto polemizar politicamente o tema. “São necessários investimentos, a população cobra e precisamos de solução para o problema”.

Por fim, o Presidente da Câmara Alexandre Dauage “Alexandre Zoio” ressaltou que fará um convite para que técnicos da SAE venham até a Câmara para falar sobre o problema. “Vou pedir uma reunião para sabermos sobre planejamento e ações que estão acontecendo na SAE”.