CPI sobre irregularidades da Cooperativa Brasileira de Trabalhos de Profissionais das Artes chega à fase final

Após o término dos trabalhos, o relatório será encaminhado ao Ministério Público local

10/10/2018

Após 18 depoimentos, a CPI formada para apurar irregularidades praticadas por integrantes da Cooperativa Brasileira de Trabalhos de Profissionais das Artes divulgou que depois do término das oitivas acontecerá a conclusão dos trabalhos e que o relatório será encaminhado ao Ministério Público local, que adotará providências cabíveis nas esferas civil e criminal.

Nas próximas semanas, ainda serão ouvidos alguns integrantes que assinaram o termo de colaboração entre a Prefeitura e a Cooperativa. A CPI é presidida por Mário Sergio Pazianoto “Sargento Sérgio”, Caio Lima é o relator e Flavio Luis Ambrozim “Flavinho do Açougue”, Raquel Spada, Salim Mattar e Alexandre Florêncio Dias “Enfermeiro Alexandre” são membros.

Sgto. Sérgio disse que o principal envolvido nas apurações, o Sr. Paulo Flores, que era Diretor de Cultura e já foi exonerado, ao ser convocado para oitiva na condição de investigado, foi representado por seu advogado. “O advogado apresentou uma justificativa de não comparecimento de seu cliente alegando direito constitucional em permanecer calado, esclarecendo que suas alegações já constam em depoimentos prestados diante do Ministério Público e da Polícia Civil de Ourinhos.”.

O presidente da CPI também destacou que a Sra. Vanussa Cristina Kohn Buratto, esposa de Flores, também foi citada nas denúncias. “A CPI tentou ouvi-la como testemunha duas vezes, mas sem sucesso. Agora, após o avanço nos depoimentos e já dispondo de fatos e provas de seu envolvimento, ela será intimada para depois na condição de investigada. Isso a obriga a comparecer em Ourinhos diante da CPI”.